Aqui procurarei depositar retalhos de Estórias e da História de Mossâmedes (Moçâmedes, actual Namibe), uns, resgatados às páginas de antigos livros e documentos retirados das prateleiras de alfarrabistas, ou rebuscados no interior de bibliotecas, reais e virtuais... e ainda outros, fundados em testemunhos de vivos e experiências vividas. Porque é nas estórias e na História, naquilo que de melhor ou pior aconteceu, que devemos, todos, portugueses e angolanos, europeus e africanos, buscar ensinamentos, para que, não repetindo os erros do passado, sejamos capazes de nos relançar e progredir no futuro, enquanto pessoas e cidadãos. Citando o Padre Ruela Pombo (*): "Os mortos guiam os vivos!... É verdade: sem freio nem chicote...O passado impõe-se ao presente, e garante o futuro.O homem egoísta é inimigo do verdadeiro Progresso e prejudicial à Sociedade. É esta a minha ...ilusão!"



(*) in
“Paulo Dias de Novais e a Fundação de Luanda – 350 anos depois...”, 2 de Dezembro de 1926 – Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa, Portugal












quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Gerações nascidas em Moçâmedes em finais do século XIX, início do século XX : familias Frota, Almeida, Ferreira, Bauleth, Ferreira...




Nesta foto, tirada em Moçâmedes, em Angola (hoje Namibe) no final da década de 1920,  na Torre do Tombo/Moçâmedes (descida para a praia, junto das casas do Sindicato da Pesca) encontram-se, da esq. para a dt: Mário dos Santos Frota, ?, Maria Laura (filha de Julia parteira), Idalinda Ferreira, Albano Bauleth com Maria Etelvina Ferreira ao colo, Alice Marta Bauleth de Almeida (irmã de Albano) com a pequenita Maria do Carmo Bauleth de Almeida à frente. Ao fundo, à dt, Armindo  Bruno d' Almeida, marido de Alice Marta Bauleth de Almeida.(1)

Tentando aqui registar alguma genealogia destas famílias, direi que:


1. Mário dos Santos Frota era um dos 12 filhos da vasta prole de Manuel Fernandes Frota e de Carolina  dos Santos Frota, ou seja tinha como irmãos: o Manuel, o José, o Miguel, a Ilda, a Felicidade, a Silvéria, o Serafim,o Henrique, o José (Zeca), a Maria da Conceição, que faleceu muito jovem e o Álvaro. Para saber mais sobre esta família: ver in Memórias e Raizes
2. Idalinda Ferreira era casada com Álvaro Ferreira, e do casal nasceram 2 filhas uma delas a Etelvina, outra a Maria Lizete. Álvaro Ferreira ( marido de Idalinda) era irmão das trigémeas Beatriz, Baptista e Lucinda, de Agostinho, Júlia, Maria do Carmo* e Álvaro, filhos deAgostinho e de Catarina Ferreira . Para mais informações sobre esta familia: ver in Mossãmedes do Antigamente
3. Beatriz Almeida era filha de João Nunes de Almeida e de Beatriz Ferreira de Almeida, irmã de João,Virgilio, Jesuina, Laura, Fernando, Arnaldo, Eduardo (Aníbal), Ângelo Nunes de Almeida. Para mais informações sobre esta familia, ver in Mossãmedes do Antigamente
5. Albano e Alice Marta Bauleth  (casou com Armindo  Bruno d' Almeida) eram irmãos,  juntamente com António Bauleth (casou com Celmira), Maria do Carmo Bauleth (casou com Mário Almeida), e filhos de Maria do Carmo* e José Bauleth.
4. Armindo  Bruno d' Almeida (casou com Alice Marta Bauleth), era irmão de Mário de Almeida (casado com Maria do  Carmo Bauleth), Fernando de Almeida, Artur de Almeida, João de Almeida... Para mais informações sobre esta familia, ver in Mossãmedes do Antigamente

Sem dúvida Mossãmedes, até pelo menos meados do século XX era uma grande família.


(1) Assim referiu in  Mazungue, um dos netos de Alice Marta Bauleth de Almeida: "...A minha Avó materna foi na barriga da mãe de Olhão para Moçâmedes num barco à vela e a vapor, com roda lateral e semanas depois de aportarem a Moçãmedes, ela nasce numa caverna das "Furnas", mais tarde mudando-se com a familia para o "Platô" da Torre do Tombo. Ano - 1907 Nome - Bauleth sim...sim é Tia-avó da Riquita. (Daqui)

1 comentário:

  1. alo eu sou Alice Marta Bauleth D'Almeida Filha de Roberto Bauleth D'almeida e neta de Alice Marta Bauleth D'Almeida,e muito bom saber das nossas raizes,

    ResponderEliminar