Aqui procurarei depositar retalhos de Estórias e da História de Mossâmedes (Moçâmedes, actual Namibe), uns, resgatados às páginas de antigos livros e documentos retirados das prateleiras de alfarrabistas, ou rebuscados no interior de bibliotecas, reais e virtuais... e ainda outros, fundados em testemunhos de vivos e experiências vividas. Porque é nas estórias e na História, naquilo que de melhor ou pior aconteceu, que devemos, todos, portugueses e angolanos, europeus e africanos, buscar ensinamentos, para que, não repetindo os erros do passado, sejamos capazes de nos relançar e progredir no futuro, enquanto pessoas e cidadãos. Citando o Padre Ruela Pombo (*): "Os mortos guiam os vivos!... É verdade: sem freio nem chicote...O passado impõe-se ao presente, e garante o futuro.O homem egoísta é inimigo do verdadeiro Progresso e prejudicial à Sociedade. É esta a minha ...ilusão!"



(*) in
“Paulo Dias de Novais e a Fundação de Luanda – 350 anos depois...”, 2 de Dezembro de 1926 – Arquivo Histórico Ultramarino, Lisboa, Portugal












segunda-feira, 12 de março de 2012

Memoria sobre a exploração da costa ao sul de Benguella na Africa occidental



  INTRODUCÇÃO

Deploraveis e bem funestos males sobre nós acarretarão o desleixo e imprevidencia de nossos maiores, originados da indolencia com que pouco a pouco fomos adormecendo à sombra dos louros colhidos em gloriosas conquistas, da incuria com que tratámos dos nossos verdadeiros interesses, sem procurarmos tirar de nossas ricas e extensas colonias todo o partido que delas havia a esperar, dissipando ás cegas grande parte dos recursos que possuiamos, sem attentar no futuro, e accrescendo a, isto as calamidade de guerras quasi continuas, que hão assolado o paiz.
No estado lamentavel a que nossa desventura nos reduzio, serão sem remedio os males que sofremos ?, não por certo. Ainda nos restao de nossa passada grandeza vastas e importantes possessões, que só esperão por bem acertadas medidas , e animosos emprehendedores, para em breve começarem a florescer com proveito seu, e da mãe patria; extremando-se entre ellas as da Africa Occidental, que nada mais precisão do que cessar de as entregar ao vergonhoso abandono, em que athe hoje tem jazido.

Quando o Brasil era colonia, foi sem duvida causa desse abandono, terem-se voltado todas as vistas especuladoras para este, por nos persuadirmos, de que ali com menos trabalho podiamos tirar mais vantagens; e assim pouco prudentes, e menos politicos lhe sacrificámos as importantes possessões Africanas, arrancando-lhe cruamente athe os proprios habitantes, para debaixo da vergonhosa condição d'escravos os obrigarmos a cultivar o solo. estranho, e entregando ao esquecimento o territorio natalicio, talvez não menos rico, e susceptivel d'engrandecimento. Assim fomentamos pois a indolencia e desprezo pela agricultura ,e industria, nos animos dos infelizes Africanos, que mal contando com assistencia por muito tempo no paiz natal, e esperando a tremer pela hora fatal, em que qualquer imprevisto e insignificante acontecimento servisse de pretexto para ser-lhe roubada para sempre a liberdade, esse precioso dom da natureza; nada mais tratava um tão desgraçada ente do que cultivar quanto bastasse a sustentar-lhe a existencia miseravel, e a dos infelizes filhos a quem fervorosamente desejara ver morrer a seus olhos antes, que vel-os expostos de continuo a ser-lhe por mãos d'hospede ingrato roubados; e para que? para serem vendidos!!!

Assim os obrigámos a suffocar os mais louvaveis e doces sentimentos do ente moral homem. Trocando finalmente pelo habito de trezentos annos tão dignos sentimentos como os que a natureza a innocencia lhes inspirarão, pelo revoltante meio de satisfazer a sua ambição, o trafico da escravatura, elles se convertêrào em entes despresiveis, e por isso muito mais difficil se tornou, o moralisar,e civilisar tal gente: alheia ao conhecimento de seus verdadeiros interesses, são hoje necessarias medidas muito sabias, protectoras , energicas, para que fazendo prosperar o seu commercio e agricultura, a par da completa extinção do abominavel trafico, tornemos uteis e florescentes aquellas importantes colonias, nosso unico meio de salvaçao.
Façamos portanto d'uma vez firme proposito d'aproveitar todos os recursos que ellas de mão larga nos offerecera, pois o Brazil ja não é .colonia, e a Naçao se acha em apuradas circumstancias. Assim cumpre aproveitar hoje, o que então imprudenteraente.se desperdiçou; e para nos convencermos de que não são infructtferos quaesquer esforços que façamos por melhoral-as, ahi temos ja os .resultados d'esses escassos e não .mui bem applicados melhoramentos, que nestes ultimos annos, lhes tem facilitado os bons desejos do governo da metropole.
D'antes recebião estas colonias todos os generos para consumo, e commercio usual como sertão, dos portos do Brasil, e em pavios pela maior parte estrangeiros , com manifesto detrimento dos interesses nacionaes,e hoje os recebem em grande parte de Lisboa,e Porto, augmentando-se assim a navegação nacional a ponto, que sendo athe 1834, feita por um ou dois navios, que annualmente o Governo ali mandava , no anno de 1840, de Lisboa e Porto, só mercantes sahirão para os portos d'Angola e Benguela 16, conduzindo mais de mil e quinhentas pipas de vinho, alem de um valor consideravel em generos. Em fim o commercio de Portugal tem augmentado consideravelmente cora aquellas possessões; accrescendo a estas vantagens a do augmento no consumo do vinho,, que alem de ser produção nossa, e das que podemos exportar em mais abundancia, demanda pelo seu volume o emprego de maior numero de navios, do que resulta necessariamente o augmento da navegação nacional, pois só é admittido em navios Portuguezes. Não se deve alem disto desprezar a circumstancia de se lhe terem os negros affeiçoado de forma, que ja hoje por elles é preferido em .muitos pontos, á agoardente do Brazil denominada cachaça , que .ali tem um consumo espantoso.

Todo o expendido é decerto resultado da facilidade de comraunicação; pois é.desde que aJi se mandão a miudo navios do estado, que tornarão mais regular a correspondencia com a metropole, que as nossas relações commerciaes com aquellas colonias augmentarão ; não tem porem estas vantagens crescido, e dado o resultado, que era d'esperar, porque a par d'ellas não se lia cuidado em fomentar a industria e agricultura, cujos productos os nossos navios podessem trazer em troco dos generos, que para ali conduzem. Eis igualmente explicada a causa porque.tão diflicultosa se tem tornado a.extinção do trafico da escravatura; pois que era um genero com que se com pensa vão as consideraveis inquitações do Brazil, sem fazer emigrar grande quantidade do ouro circulante.
Em taes circumstancias parece que o que cumpria fizesse o Governo, era animar toda e qualquer empresa que lhe desse a tirar aquellas iateres xandre, em cujos Jogares se acha ainda hoje gravado o seu nome. Const«.»u-nos que esie infeliz havia soffrido desastrosos resultados do seu atrevimento, pois na occasiào em que se achava n'um destes logares, foi obrigado por uma dás mui frequentes guerras do Gentio a esconder-se, roubando-lhe este os proprios filhos e companheiros, que depois forào natural mentente vendidos ou mortos, eelle a muito custo pôde salvar a vida que bem cara lhe custou pela perda d'objectos que lhe devião ser tão apreciavei6, vindo depois a morrer em Benguella despresado, como quasi sempre acontece a todos os que se expõem a perigos e fadigas, para fazer serviços á Nação Portugueza, sempre madrasta para com seus filhos beneméritos.
Falhando assim estes recursos, ambos da maior monta, mormente o seguodo, que não podia dispensar-se, era evidentemente necessario suppril-o de qualquer forma; indagou-se pois se haveria alguem. capaz de desempenhar esta commissão, e depois de varias pesquisas reconheceo-se não haver outro mais proprio , do que um 2.° Tenante d'Artilheria , João Francisco Garcia chamado, que por ter estado no ponto do sertão mais adequado para se alcançar gente, que fosse serenar e prevenir os animos do Gentio das praias, que com a chegada repentina de gente desconhecida, e com as ideias nelle inextinguiveis, que do mar vem sempre gente que lhes pertende usurpar a sua riqueza, poderião abandonar as povoações, retirasse para o interior cora os seus gados e mulheres, objectos para elles os mais apreciaveis que possuem, e iicarião neste caso inutilizadas as nossas fadigas, por se tornarem impossiveis. quaesquer indagações, objecto principal desta expedição, taes como, se o interior era povoado, quaes as suas producções., e espirito dos habitante, etc..  Foi consultado o sobredito Tenente, que se resolveo a ir por terra encontrar-se com a Corveta, recusando receber gratificação alguma além da certeza do posto de 1.° Tenente, que dizia pertencer-lhe já de muito tempo. Sahio portanto com alguma força em direitura a Quilengues, onde recebeo praiicos do sertão, além de outros. que successi vamente foi tomando athe chegar á babia de Mõssamedes, atravessando assim o sertão pelo lado povoado de gente tratavel e humilde, excepto quando andão em guerra, pois em todas as mais occasiões respeitão os brancos, e os estimão mesmo se elles disso se sabem fazer credores, sendo tambem capazes de se vingar no caso contrario, porém isso só por motivos muito fortes, e é mister que digamos, que quisi sempre a razão está da parte destes, porque ordinariamente os chamados sertanejos não são a melhor gente.

Assim concluida esta parte essencial dos nossos trabalhos em Benguela,sahi d'ali na mencionada Corveta no t.° de Setembro ,e só no fim de 21 dias de viagem bastante trabalhosa, é que chegamos a avistar o primeiro ponto, que ao Commandante pareceo conveniente demandar. Fundeámos pois n'uma bahia bastante extensa em comprimento e largura, com muito bom fundo, e bastante abrigada, por nome bahia d' Alexandre, e também conhecida pelo de porto Pinda: forào nos primeiros dias indagadas as praias inutilmente , pois além d'alguns ossos de balêa queimados, e uma especie de embarcações feitas d'um páo muito leve chamado bimba, nào se encontrárão outros indicios d'existencia d'habitantes  o mesmo terreno alguma cousa montanhoso e arenoso, com muito pouca vegetação, nenhumas arvores, e sem agua, nos induzio a crer ao principio que tal logar era deserto:, athe que um dia, em que o Commandante mandou um escaler com gente armada e um lingua dos dois que tinhamos recebido em Benguella, furão vistos negros pelos altos das montanhas, e que seguião a direcção do escaler, que ia sondar as praias fóra da bahia mais proximas. Logo o Commandante mandou apromptar outra embarcação, em que fomos eu, elle  e o segundo lingua, com algumas fazendas, missanga etc. , para lhes oferecermos, e para cujo fim , tanto eu como o Commandante tinhamos trazido de Benguella, eu á minha custa, e elle por conta da Fazenda Nacional.
Chegámos finalmente a um logar fóra da bahia, aonde já se achava a gente do primeiro escaler em communicação com os negros, que bastante desconfiados lhes tinhão feito saber, que assim como elles largavão suas armas para virem fallar-nos desarmados, assim tambem queriáo que os nossos deixassem as suas no escaler, o que immediatamente fez a gente que ia, receberão de nós varias bagatellas de mimo,depois do que se retirárão, compromettendo-se a apparecer no outro dia na praia dentro da bahia, e a trazer-nos amostras do seu mantimento, o que fizerão, vindo com pequenas porções de milho, feijão, e aboboras. Mais alguns dias continuárão a vir fallar-nos , trazendo unicamente para trocar, milho, feijão , e aboboras, algum marfim, pouco gado,e pomas de cabra do matto , curiosas pelo seu comprimento. Nada delles podemos saber, que seja digno de mencionar-se, além de que viviào em logar proximo, e que segundo os seus costumes, homem branco não podia entrar na sua povoação, precaução esta que indubitavelmente era filha do receio que de nós tinhào. Vio portanto o Commandante que este logar não era mui apropriado parei os nossos fins, tanto pela qualidade do terreno, como pela difficuldade de communicações com o interior, que naquelle ponto serião um pouco mais custosas d'estabelecer, pelo caracter desconfiado e timido dos indigenas habitantes da praia, que apezar de quanto diligenciámos por lhes fazer eonhecer,que só perteiidiamos amigavelmente trocar os nossos generos pelas producções do seu territorio, nunca deixarão d'apresentarse com o mesmo apparato bellico, aparecendo sempre armados  e praticando a ceremonia de espetar as armas longe, para virem depois communicar com nos co desarmados, deixando porém sempre alguns dos seus ao pé das armas, além de terem postadas forças na direcção das suas Khatas ou povoações, com o fim d'impedir a nossa passagem, que nunca tentámos, por assim o exigir a prudencia e bom exito desta importante commissão; em consequencia d^sto assentou o Commandante retirar-se, o que me constou tres ou quatro dias antes do aprazado para a sahida, não estando eu ainda satisfeito com as limitadas, é infructiferas indagações que se havião feito athe ali, por isso que me achava, bastante coado, por estar inteiramente sugeito ao caprixo e ideias do mencionado Commandante, que já mais desprezou occasião de fazer valer a sua authoridade (e que me não convinha chocar, para não inutilisar de todo o fim a que me havia proposto, pois que elle tudo fazia e deliberava sem me consultar, nem dar a saber as suas intenções. Convinha-me pois adoptar um systema particular , pelo qual effeituando as minhas indagações em separado das suas, lhe fizesse comludo o menor numero d'exigencias possivel, evitando athe mesmo a occasião de fatiar em um objecto que elle a seu arbitrio queria tratar, e em que apenas seguia a sua opinião 5 e por isso resolvi não me retirar da bahia d'Alexandre, sem examinar mais meudamente todos as circumstancias indispensaveis a uma descripção, por onde se podesse fazer ideia do que é susceptivel aquelle logar.

Fallei pois um dia ao referido commandante, e lhe disse que eu estava resolvido a continuar as minhas pesquizas, por me haverem despertado a curiosidade as noticias, que trez homens pretos de bordo nos tinhão traziflo d'um logar a legou e meia da praia para o centro e para o norte, aonde tinhão ido levar um presente que mandámos ao chefe d'aquella gente, que costumão chamar Soba, e que é uma especie de Governador hereditario. A isto me respondeo, que podia ir, porém que elle me não dava gente branca alguma para me acompanhar  que apenas me dispensaria dois homens negros da sua guarnição e um lingua igualmente negro, accrescentando que elle queria sahir d'ali a dois dias, e que não esperaria por mim mais tempo, por tanto que fizesse o que me parecesse, não contando de bordo com mais cousa alguma além do mencionado, do que um escaler que me iria largar em terra, e buscar depois logo que em certo logar eu fizesse signal de ter chegado. Ainda que a pequenez e frieza desta resposta me magoasse bastante, com tudo não deixei escapar uma so queixa, aproveitando mesmo esses escaços recursos que por muito favor me concedia, para não me vèr nas circunstancias de levar ás costas algumas bagatellas de fazendas, missangas , coraes , etc. que destinava para brindar os indigenas, e poder assim mais facilmente tirar partido dás minhas fadigas; pois que o risco eminente a que ia expor-me com tal companhia augmentava ainda mais. Apezar de tudo isto decidi-me a partir,o que fiz com effeito, mesmo por caprixo em lhe mostrar, que não me acobardavão a sua especie d'ameaças, que parecia respirar uma tal resposta.
Fui felizmente muito bem acolhido pelos postos avançados, que guardavão a entrada d'una extensissimo valle, todo cultivado de milho maiz, feijão, aboboras, e uma especie de milho miudo.

As margens do valle são guarnecidas além d'immensa quantidade d'arbustos , e de plantas parasytas , por duas ordens de palmeiras , que se extendem athe onde se pa le alcançar com a vista, e que parecem continuar muito para o centro. Do lado direito destes arimos ficava uma especie de seio formado por algum rio, que no tempo das chuvas naturalmente ali desagua, conervmio-se agora subterraneo, pois cavando athe dois palmos de profundidade; encontra-se agua magnifica, de que os indigenas se servem para beber, e a qual é devida a immensa e linda vegetaçao de que acha coberta toda aquella planicie. Tive os mais ardentes desejos de percorrer esta planicie, para melhor ideia fazer da sua extensao, e estado de cultura, porém duas fortes dificuldades se me offerecêrào ao complemento d'este projecto: a primeira, não poder fiar-me na gente que nos acompanhava ,por sermos apenas quatro ao todo e desarmados, e o que é mais, gente que de nada me podia servir em caso de perigo , (endo além disso a certeza de que não esperarião por nós na babia mais de 48 horas, como me havia protestado o Commandante da Corveta; segunda, por me mandar dizer o Soba, que não proseguisse , por causa de suas mulheres o crianças, que tinhão medo dos brancos, como se fossem bichos, apezar de que este segundo embaraço não era bastante para fazer-me abandonar o meu plano, uma vez que fosse bem acompanhado por oito ou dez homens brancos armados, porque então algumas dadivas e instancias, reunidas a sinceros protestos de não ter intenções sinistras ,removerião facilmente este obstaculo.

São pois os habitantes da bahia d'Alexandre, povos de vida pastoral, de Nação Mocubal, e conhecidos em todo aquelle vasto sertão debaixo do nome de Mocorocas, por habitarem um logar a que chamão Coroca. Sua vida muito pacifica não deixa de ser singular pela sua predilecção pelas mulheres que escondem com a maior cautella, especialmente dos brancos, sendo igualmente muito ciosos do seu gado, cuja carne é magnifica como mais tarde vim a conhecer, e de que possuem grande quantidade de duas especies vaccum e ovelhum, sendo o segundo de raça conhecida debaixo do nome de carneiros de cinco quartos, por terem o rabo d'uma largura e gordura admiraveis. São os Mocorocas os negros mais activos e bem feitos em geral que tem a Costa conhecida ao Sul de Benguella, muito dados ao exercicio da caça, e alguns d'entre elles ao da pesca, de que porém tem muito medo, porque consta ter ido ali um navio Hespanhol, que havendo-os iIludido com muitas dadivas, chegou a persuadil-os a irem a bordo, e logo que ali apanhou a quantidade que lho pareceo bastante, levantou ferro, e os foi naturalmente vender á Havana, ou outro porto, além disto consta terem-lhe alguns navios estrangeiros feito roubos de gado, talvez persuadidos que é bravio, e que por consequencia não tem dono. Uma das qualidades mais notaveis destes indigenas é a agilidade com que sobem enormes montanhas d'area , manejando ao mesmo tempo dextramente as armas do seu uso; crêem muito em feitiços e almas dos seus defuntos; nào gostão d'aguardente, e preferem o tabaco que elles lá fabrieào d'uma fórma singular, ao de rolo do Brazil; são muito amigos de missanga branca, azul, preta, e igualmente estimão muito facas, e arcos de ferro paia fabricarem flexas e azagaias, enchadas de ferro d'umas que fabrica unia nação do interior do sertão, contigua a Benguella, por nome Nanos (o que na cidade de S. Filippe constitue um ramo de negccio);de fazendas preferem zuarte azul, baeta da mesma cor, e cobertores, não fazendo apreço de chitas e outras fazendas de cores claras.

Logo porém que estes indígenas chegão a adquirir (como mais tarde tive occasiào de conhecer,depois de me estabelecer em Mossamedes) familiaridade com algum branco,se tornao muito trataveis,e não são dos que menos ambição tem de traficar comnosco; comigo vierào elles a ganhar depois muito amigaveis relações, de que não deixei de tirar bom partido, bem como ellus, que me chamavão o seu branco, e que dizião, que as almas de seus maiores me tinhão ali enviado para augmentar a importancia das suas terras, pois que eu lhes vendia e dava com mão larga tudo o que áquelle ponto athe então só chegava pelo interior, como raridades, e por um elevado preço.

Assim conclui pois todas as averiguações naquelle mesmo dia, voltando a bordo sem novidade notavel; e demorandu-nos ali poucos dias mais, sahimos em 1 de Outubro para o sul, tendo uma viagem muito trabalhosa pelos ventos e correntes contrarios,e que fez com que gastassemos dias para chegar á peninsula dos Tigres, que dista da bahia d' Alexandre apenas um gráo, e ali fundeámos a 31 do dito mez , demorandonos apenas 3 dias, pois que a vista horrorosa de montanhas d'area movediças á feição do vento, sem nenhum vestigio de vegetação, nem agua potavel, excluia qualquer ideia d'exploração d'um logar, que apresentava todos os indicios de ser impossivel ter habitantes, qualquer que fosse a sua condição. Não deixa comtudo de ser notavel esta peninsula, que forma uma extensissima bahia que, bem como a de que antecedentemente faliamos, é muito abundante de peixe, de tamanho e qualidades muito proprias para exportar depois de salgados (na realidade é prodigiosa a quantidade e variedade de peixe que em toda aquella Costa se encontra, e de que athe hoje nenhum partido se ha tirado, bem como de quasi tudo ornais). Não obstante ter esta bahia igualmente bom fundo, não é tão abrigada como a d' Alexandre, tanto pela sua extensão, como por ser muito rasa, e por consequencia muito castigada dos ventos do sul, que são os que ali reinão com mais frequencia.

Dali sahimos finalmente para o norte, porque sendo esta peninsula,, segundo dizem, o limite dos dominios Portuguezes por este lado, e havendo mesmo (ao que parecia) probabilidade de começar ali o deserto bem conhecido pela sua vastidão, nada mais tinhamos que explorar ao sul d'este Jogar. Foi então que em menos de quarenta e oito horas avistámos a bahia de Mossamedes, duvidando porém se seria ella, posto que todos os indicios, que a distancia nos deixava perceber, combinassem com a ideia que eu fazia d'este logar, e como erão já cinco horas da tarde, o Commandante resolveo fazer-se ao largo, e vir no dia seguinte reconhecer a terra, lembrança que me pareceo muito ajuizada e prudente, pois que estando tão proximos d'uma costa para nós inteiramente desconhecida, muitos erão os perigos a que podiamos estar sujeitos, e tanto mais , quanto se nos aprezentava um baixo em que o mar rebenta.va com muita força, e o qual, projectado como se achava, parecia fecharnos a entrada da bahia, que duas mui notaveis pontas deixavão formada, e que mostrava nfio ser piquena j alem disso o fumo que distinctamene viamo8, nos denunciava a existencia d'iiabi(antes n'aquelle ponto.
Viemos pois no dia immediato, e com as precisas cautellas e a favor de não pouco trabalho conseguimos entrar nesta bahia, fundeando peias seis horas da tarde sem maior novidade. Logo forao vistas de bordo duas bandeiras brancas, que erão os signaes convencionados com o oihcial que tinha ido por terra, algumas fogueiras , gado pastando, algumas arvores, e bastante vegetação etc., tudo isto bastou para confirmar-nos na ideia de ser este logar que procuravamos , porém como era quasi noute, ;i penas forão dois escaleres correr a bahia , os quies voltarão com a noticia de terem visto peia praia muitos negros, que pareciào chamai-os.

No outro dia fui eu o primeiro a ir .para terra com algumas bagatellaa de fazendas e missangas, nossas unicas armas, levando comigo só mente tres homens negros e um branco,e havendo previamente combinado com o Commandante, o fazer signal para bordo no caso de me verem perigo; logo que saltei em terra, vi que de longe eaminhavào para mim uma multidão de negros, trazendo adiante uma bandeira branca,e depois que nos aproximámos mais , reconheci que a gente que vinha na fren te não era gentio, por trazerem jaquetas brancas, quando estes costumào andar nus só com uma tanga.

Erão pois um pardo escrivão de Quilengucs, com tres soldados pretos da guarnição d'aquelle presidio, alguns Mocotas, ou principaes da Corte de potentados visinhos, que o mencionado official havia mandado adiante, a fim de collocarem as bandeirolas, e socegar os animos da gente das praias, e para o que são muito proprios os homens pardos, mormente os sertanejos, pelo pleno conhecimento do idioma do paiz, vindo por isso a ter muito mais facilidade em conduzir os indigenas aos seus fins.

A respeito dos homens pardos, especialmente d'aquelles que se occupão no mister de sertanejos, permitta-se-me que diga duas palavras. Talvez que se um melhor destino nosso houvesse permitiirlo que asauthoridades,que athe hoje hão governado aquelle paiz, só desgraçado por nos pertencer, tivessem, como cumpria ao seu dever e aos interesses da patria , lançado mão dos recursos que com mão larga nos oiferecem aquellas colonias , examinando os meios mais convenientes de os aproveitar com vantagem, terião por certo encontrado n'esta qualidade de gente uma especie de missionarios, que com segurança o digo, poderião ser empregados com resultados não menos felizes, de que os que se tiravão com aquelles, de que outrora nos serviamos no Brazil, e dos quaes não so poucos existem já, mas athe para nossa vergonha, tendo nós uma tão vasta parte do mundo para civilizar, acabámos com os estabelecimentos, onde se instruião e preparavão com os conhecimentos e disposições proprias, sem que cuidassemos em substituir esta indispensavel instituição por outra, qualquer que fosse a organização que se lhe desse.
Voltando porém ao objecto, não me pouparei a provar, que é n'aque!la qualidade de gente que temos um dos mais poderosos meios de facilitar e tornar seguro o nosso commercio com o interior. A elles devemos a franca entrada que temos na maior parte das terras de gentios poderosos, que par meio da força seria uru absurdo tentar, conservando alg,uns destes uma afleição notavel aos «brancos (nome porque somos conhecidos na Costa d'Africa); e igualmente lhes somos devedores da acquisição da maior parte dos importantes objectos que uos vem do sertão, posto que em muito pequena quantidade ., em proporção do que era possível receber. Porém d'este vantajoso meio de civilisação, bem como de todos os outros, só tem lançado mão homens ambiciosos, que desconhecendo atheseus proprios interesses, «ão tem sabido aprovei tar-ae convenientemente de tão interessante recurso, pois que só os ensinão a ser cavilosos para com o gentio; por cujo motivo praticão toda a qualidade de fraude, algumas das quaes por muito revoltantes, e manifestas, tem sido causa de muitos potentados se haverem indignado contra nós, prohibindo-nos athe a entrada em suas terras. Causaria horror uma lie descripção do comportamento dos denominados sertanejos , qualquer que seja a sua cór ; por quanto commettem todaa casta de roubo e violencia que podem, trazendo para este fim comsigo o maior numero de gente armada, de igrma que para elles não ha mais que o direito da força, vendo-se varias vezes obrigados a fazer viagens tortuosas , por estará sua espera no caminho, gente que vem disputar-lhes as prezas feitas por elles, ou por seus delegados.

E' pois forçoso confessar, que assim como a elles devemos sempre quaesquer relações amigaveis que com o gentio pertendemos entabolar, tambem muitas vezes tem sido causa de perderem os negociadores das .cidades grandes fundos, por irem elles mesmos armar ciládas , e intrigas; mas disto só é causa a desmoralisação que entre elles reina, e que os mesmos brancos Ih^s tem ensinado, para conseguirem melhor seus projectos ambiciosos. Apezar porém de não serem vulgares em demasia os exemplos de tio funesta rebeldia, daqui mesmo se pòdem tirar argumentos a favor da minha asserção, pois que o caso é que elles tem immensa astucia e habilidade para ganhar os animos dos chefes e poderosos de qualquer nação, e movel-os aos seus fins sem difficuIdade. Ora se fossem convenientemente empregados em com missões commerciaes, bem entendidas , e athe eu queria que bem fiscalisadas , usando o governo d'estimulos bem apljeados, e aproveitando estas mesmas occasiões para lhes dar instrucções uteis 9 sempre previamente acomodadas á capacidade de taes individuos, assim se haveria conseguido sem duvida, quando não civilisar, pdo menos toruar amigos, e doceis, innurneraveis gentios, que mesmo proximo d'alg íris presidios se conservào reservados para com os nossos, e geralmente crueis, pois que bem vêem as poucas ou nenhumas vantagens que tem tirado aquelles, que se nos hão entregado desprevenidos, e comnosco entabolado relações, pelo nosso horrivel e irrisorio methodo de as estabelecer, que a maior parte das vezes mais parece um systema «studado para as terminar, do que para as estreitar , e para se provar isto), bastará dizer-se, que são quasi sempre homens de desmedida ambição, sem moral nem instrucção, os que as fundão^e destroem. Mas terminemos aqui esta digressão, que já vai longa , e coutinuemos com o assumpto principal. Eis-nos pois em cornmunicaçào com a gente que de Benguella havia sahido por terra, ou melhor direi, eis-nos conhecedores dos resultados desta commissãd; porque o mesmo escrivao conduzia officios do referido official que ainda se conservava a alguns dias de viagem. Reineit logo para bordo da Corveta os oflieios, e tratei de estabelecer as minhas relações com aquella gente,o que me nào foi muito difficultoso pelo meu genio muito propenso para taes emprezas. Comecei por procurar adquirir o mais exacto conhecimento dos seus costumes, e superstições etc., para que marchando debaixo de principios solidos, colhesse os melhores resultados desta importante comissao.
Felizmente tal foi a madureza e astucia com que sube haver merque .dentro de quatro a.seis dias , já lhes tinha ganho os animos de fórum, que sendo-me ao principio vedada a entrada nas suas libatas ou povoações, e arimos ou hortas, já depois me erào franqueados sem dificuldade, procurando elles mesmos todos os meios de me fazer conhecer, que não só estavão dissipados torios os receios que nossa vinda lhes Jiavia feito conceber , mas que athe se nchavao muito satisfeitos com a minha maneira, de tratar, porque durante este .espaço-eu fíz com eles transacções sobre gado, leite , milho, algum marfim jk.c.,usando do meio mais acertado de lhes captivar a boa vontade, qual o das repetidas dadivas aos magnatas, e especialmente ao Soba do denominado Mossungo Bittoto,tal é o nome.da povoação, qne habita as praias da bahia de Mossamedes. Era na realidade um expeetaculo para mim bem singular a minha recepção naquella. bahia, pois que além de diversos cumprimentos e ceremonias extravagantes do seu uzo, mandou o Soba fazer pela sua .gente.uma especie de telheiro de ramos para me abrigar do sol., e debaixo mandou estender uma esteira., onde me convidou a sentar, collocando-se elle defronte de mim. Então lhe fiz vêr que nós só pertendiamos a sua amizade, e. que não erào nossas intenções outras, senão trocar as muitas fazendas e generos que possuíamos por marfim , cera, gado, urzella , etc, e que o tratariamos sempre muito bem, e que só delle sollicitava o consentimento de fazer uma casa, onde se recolhessem as muitas cousas que pertendiamos conduzir para alL A estas proposições simplesmente retribuio, que me responderia no dia seguinte, mui naturalmente para no intervallo ouvir o conselho dos principaes de sua corte, a que chamão Secíihs. Pedio-me por isso, que llhe mostrasse o que trazia , o que fiz, começando por offerecer-Jhe alguns objectos, taes como panno azul, missanga branca, aguardente, etc., do que se mostrou muito reconhecido, e mandou trazer leite, milho verde, e um boi, que me deu .em signal de agradecimento,promettendo-me que no dia seguinte traria galo para trocar por alguns dos objectos que eu tinha; e assim me retirei para bordo, vindo elle com os principaes dos seus acompannar-me athe ao meio do caminho para o embarque, e ali se despedio, e eu fui jantar para bordo, e descançar.

No dia seguinte ainda as ceremonias forão as mesmas, trouxe gado e um pouco de marfim, e offereceu-me leite que acceitei, e de que mandei fazer sopas; porém quando vio o homem que eu havia incumbido d'arranjar a comida, ir pôr o leite ao lume para ferver, se espantou , e disse, que o aquecer o leite fazia mal ao gado, e assim que permittisse que elle deitasse no leite um bocadinho de casca d'uma arvore, que tinha a virtude de destruir o feitiço ou mal que pudesse resultar. Terminado este incidente, fallamos sobre a questão da vespera que tinha ficado pendente da sua decisao, e me disse, que não só consentia, em que fizessemos casa nas suas terras, mas tambem que se levantasse uma fortaleza, para que o gentio do interior os não viesse guerrear para lhes roubar o gado, e que estava certo, que a vinda dos brancos devia augmentar a importancia de suas terras. A final em todo o resto do tempo que ali me demorei, me continuei a dar com elles muito bem, e quando me retirei, os deixei do melhor acordo, fazendo-lhes repetidas promessas de voltar em breve.

São os indigenas d'esta bahia, como os Mocorocas , de nação Mucubal, e de vida pastoral, possuem gado das duas especies já mencionadas em grande quantidade, especialmente do vaccum, sendo porém dois terços ou mais desta povoação de vida errante; porque como é immensa a quantidade de gado que possuem, e sendo muito frequente na Africa a falta de chuvas, se vêm obrigados a estabellecer a sua habitação aonde encontarão pastos, o que geralmente acontece sempre proximo dos rios e valles, em que podem achar agua com facilidade, trocando-a por outra, logo que naquelle logar começão a escacear os pastos.  A estas habitações chamão sambos ou curraes os quáes são de forma circular , tendo em roda uma ordem de choupanas do feitio de fornos , com uma entrada pequena como a d'estes,e que são formadas de páos espetados muito juntos formando um circulo largo no chão , e estreitando athe se unirem todos na parte superior, e depois de bem cobertas de palha, as barrão e cobrem perfeitamente de barro amassado com bosta , o que depois de secco as torna impenetraveis á agua, respira-se porém dentro de taes habitações um ar quente e abafadiço, que para nós europeos é insupportaveí; apezar disso elles não dormem jamais sem fogo, para o que costumam assentar uma lage no centro das choupanas, e na falta d'ella, uma camada de barro amassado, de que em todo o caso é formado o assento da cabana. Feia parte de fora desta ordem de choupanas, ha sempre um tapume feito de estacadas eramos de tamarindeiro bravo, e outros arbustos espinhosos, em que abundão aquelles sertões por toda a parte; é pois no espaçoso terreiro do centro, que o gado fica de noite, mas tendo elles o cuidado d''apartar ali as crias, para depois tirarem o leite, seu sustento principal, ede que tambem fazem boa manteiga para diversos usos, a que depois d'apurada e prompta chamão engunde. 

As mulheres são as que trabalhão na cultura das terras, em quanto os homens só tratão do gado, e no caso de guerra vão esconder aquellas e este, e peleijão então para defender-se simplesmente, pois que não são guereiros; ha porém povoações no interior que lhes movem guerras para lhes roubar o gado, sua unica riqueza, isto é, por elles assim avaliada.
Finalmente, depois de receber o Tenente Garcia a bordo, nos retirámos para Benguella , e ahi chegámos em 13 de Dezembro de 1839, e aonde recebemos a desastrosa noticia de ter-se retirado para a metropole o Governador Noronha, o que muito senti, porque bem antevi as consequencias da sua falta. CONTINUA....

Para ler este livro, clicar AQUI
Inclui fundação de Moçâmedes

Sem comentários:

Enviar um comentário